Vida Acadêmica

O que é um trabalho científico?

Escrito por: DoityTeam

Toda informação gerada durante um trabalho científico deve ser apresentada à comunidade de maneira adequada e acessível. Para isso, o trabalho científico é o melhor instrumento para comunicar novo conhecimento ao universo acadêmico.

De acordo com a ABNT (NBR 6022), o trabalho científico pode ser definido como a “publicação com autoria declarada, que apresenta e discute ideias, métodos, técnicas, processos e resultados nas diversas áreas do conhecimento”.

Um artigo apresenta as etapas de um estudo realizado, de maneira simples, direta e objetiva. Mas, para ser considerado científico ele deve representar uma investigação executada com um método científico e submetida ao exame de um corpo de pesquisadores da área, que irá testar e conferir as informações, a metodologia, os resultados e/ou as conclusões alcançadas.

Para conhecer tudo sobre trabalho científico, desde sua confecção à publicação, é só continuar lendo esse post. Vamos lá?

Como se faz a divulgação de um trabalho científico?

Os trabalhos científicos são publicados em revistas científicas especializadas nas diferentes áreas do conhecimento, dirigidas para um público-alvo definido, interessado e iniciado nos termos, terminologias e conceitos próprios de um dado campo de estudo. Eles podem ser: linguagem da botânica, símbolos da matemática, expressões da filosofia e assim, por diante.

São necessárias algumas qualidades do trabalho científico para que ele seja avaliado e selecionado para publicação em periódicos, que nada mais são do que revistas científicas que são publicadas com uma determinada regularidade de tempo (semanal, mensal, anual, bianual, etc).

Essas qualidades, que serão analisadas pelo corpo editorial da revista, incluem: originalidade, relevância, escrita coerente e organizada, e muito importante também são as normas da ABNT que deverão ser rigorosamente aplicadas na formatação do artigo cientifico.

Geralmente é uma publicação breve, que muito dificilmente ultrapassa 20 páginas. No entanto, ao iniciar a confecção de um artigo, o escritor deverá consultar, sem falta, as normas para publicação do periódico pretendido, pois lá estarão sendo indicadas as regras específicas da revista.

O Qualis e o trabalho científico

No Brasil existe um padrão de classificação dos periódicos nacionais e internacionais para publicação criado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES).

Segundo a própria entidade “Qualis é o conjunto de procedimentos utilizados para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação”. Ou seja, é uma escala de importância dos periódicos, a qual é atribuída uma graduação de valores que vai de A1, o mais elevado, seguindo em ordem decrescente por A2; B1; B2; B3; B4; B5; até C – com peso zero.

Esta classificação serve de orientação para que o escritor utilize como critério na hora de escolher o periódico ao qual pretende submeter seu trabalho para publicação.

Artigos científicos indexados positivamente pela CAPES qualificam seu trabalho e lhe dão maiores oportunidades, por exemplo: de conseguir financiamento para projetos, de ser selecionado para receber bolsas, ser convidado a participar de eventos científicos, além de contar pontos positivos em seu currículo Lattes para concursos.

Estrutura de um trabalho científico

Embora cada área da ciência tenha um formato mais ou menos padronizado de apresentar seus trabalhos científicos, existem elementos que geralmente estão presentes em todos eles, que na maior parte das vezes segue a seguinte ordem:

Elementos pré-textuais:

Título e subtítulo, se houver

Deve identificar o conteúdo do trabalho de forma clara e dar indícios do que o leitor deve esperar.

Identificação do(s) autor(es)

O nome de cada autor deve ser citado, com a referente qualificação profissional (cargo que ocupa ou grau de formação) e filiação institucional. Além disso, o autor principal deverá também informar o endereço para correspondência postal e/ou eletrônica.

Resumo

um relato breve e objetivo de até 250 palavras, na mesma língua do trabalho, apresentando o objetivo geral, a metodologia e os principais resultados. Serve para um conhecimento preliminar do artigo pelo leitor e também para indexação nos diferentes meios de busca.

Alguns periódicos requerem o resumo em língua estrangeira, comumente o inglês, mas, podendo ser solicitado em espanhol ou francês.

Palavras-chave

São descritores do trabalho e em número de 3 a 5 palavras, separadas por vírgulas. Também deverão seguir o resumo em língua estrangeira: em inglês Keywords, em espanhol Palabras clave, em francês Mots-clés.

Elementos textuais:

Introdução

É a primeira parte do corpo do trabalho. Apresenta o assunto, fazendo uma descrição do problema abordado e do que já se sabe sobre ele citando outros trabalhos já realizados na área. Também aqui se deve destacar a aplicabilidade e a originalidade da pesquisa que deu origem ao artigo. Por fim, pode-se descrever o objetivo geral.

Desenvolvimento

É a parte do trabalho onde são descritas, de maneira detalhada, as etapas de realização da pesquisa. É dividida em seções e subseções onde o autor exibe o referencial teórico no qual se baseou, explica os procedimentos e métodos que utilizou, relata as observações que fez, mostra os resultados que colheu, descreve a análise estatística a qual submeteu os dados obtidos, compara e discute o que encontrou e indica os seus significados.

Conclusão ou Considerações Finais

Dependendo do tipo de pesquisa os trabalhos podem ser encerrados com conclusões objetivas ou com considerações finais quando o assunto não pede uma conclusão. De qualquer maneira, este ponto deve responder à questão ou hipótese formulada na pesquisa.

Elementos pós-textuais:

Notas

São elementos não obrigatórios que explicam algum conteúdo do texto com informações curtas e complementares. São numerados em sequência de acordo com a ordem em que aparecem no texto.

Referências

É o conjunto de referências bibliográficas utilizadas no trabalho. Tem caráter obrigatório e deve seguir as normas da ABNT.

Glossário

Serve para esclarecer termos técnicos e é opcional.

Apêndice

É utilizado quando o autor precisa complementar informações e elabora algum texto, tabelas, gráficos, imagens, etc. Não é obrigatório.

Anexo

É um complemento de caráter facultativo que não foi elaborado pelo autor, mas que ele julga necessário apresentar.

Agradecimentos

De caráter eletivo, devem ser dirigidos a pessoas ou entidades que contribuíram para confecção da pesquisa e/ou do trabalho.

Tipos de trabalhos científicos

Há uma expressiva quantidade de trabalhos científicos publicados que podem ser de dois tipos:

Artigos de Revisão

Apresentam uma pesquisa extensiva de informações já publicadas sobre determinado tema, analisando e discutindo os fatos citados e colocando o tema na atualidade e as perspectivas para o futuro do objeto de pesquisa. Na maioria dos artigos de revisão são citadas, no mínimo, 100 fontes.

Geralmente artigos de revisão são escritos por convite do corpo editorial da publicação. Por isso, vale consultar as regras de submissão do periódico antes de começar a escrever seu trabalho.

Este tipo de artigo é muito consultado por pesquisadores devido a ser fonte de informação catalogada sobre determinado assunto.

Artigos Originais

Apresentam ou comunicam uma pesquisa inédita. Geralmente têm uma estrutura padronizada que consiste em seções completas que respondem a questões do problema de pesquisa: Introdução (porquê?), Metodologia (como?), Resultados (o quê?) e Discussão (para quê?), comumente designado pela sigla IMRD.

É muito comum este tipo de artigo, principalmente por muitos cursos de pós-graduação lato senso terem como requisito para obtenção de grau, além da Dissertação e Tese, a elaboração e submissão de trabalhos científicos oriundos de pesquisa realizada durante o curso.

Os tipos mais comuns de artigos originais incluem os Artigos de revistas científicas, as Cartas ou Comunicados ao editor e os Estudos de Caso.

Tipo de pesquisa

O que é pesquisa?

É um processo sistemático, planejado e orientado para produzir conhecimento novo ou para desenvolver, corroborar, refutar, atualizar e detalhar um conhecimento que já existe.

O objetivo essencial de uma pesquisa é encontrar respostas para um determinado problema, utilizando para isso um método científico. Dessa maneira, existem regras para as pesquisas. Investigações que seguem a metodologia científica têm que ser conduzidas de forma que comprovem seus achados.

As pesquisas são classificadas sob diferentes perspectivas.

Quanto à Finalidade

Ou seja, ao tipo de contribuição que vai dar à ciência, pode ser básica ou aplicada.

Pesquisa Básica

É dirigida ao aprofundamento de um estudo já realizado, visando complementar a pesquisa existente partindo de um ponto de vista diferente do abordado.

Como exemplo deste tipo de pesquisa podemos destacar os TCC.

Pesquisa básica pura

Estudo teórico sem pretensão de aplicação. Geralmente direcionada ao somente ao meio acadêmico;

Pesquisa básica estratégica – orientada para poder servir a estudos práticos. Apesar de não apresentar soluções.

Pesquisa Aplicada

É dirigida a produzir conhecimento para ser aplicado em diferentes situações da realidade. É preferencialmente produzida para revelar alternativas de transformar, reformular, atualizar, entre outros, o objeto do seu estudo.

Como exemplo desse tipo de pesquisa, entre muitos outros, temos os relatórios dos Mestrados Profissionalizantes.

Quanto à Forma de Abordagem

As pesquisas podem ser qualitativas ou quantitativas.

Pesquisa qualitativa 

Prioriza a qualidade dos fenômenos, mais do que a quantificação da sua ocorrência, não atribuindo valores mensuráveis. A interpretação é de natureza mais subjetiva e flexível.

Este tipo de pesquisa é comum na área das Ciências Humanas, especialmente nos trabalhos de graduação. Ex.: “O interesse pela robótica entre alunos do nível médio de escolas públicas”.

Pesquisa quantitativa

Prioriza a utilização de dados quantificáveis. Transforma, por meios confiáveis, a ocorrência dos fenômenos em fatores numéricos que possam ser submetidos à análise estatística, por exemplo. A interpretação é objetiva.

Este tipo de pesquisa é comum nos Mestrados e Doutorados.

Ex.:Efeito do ensino da robótica sobre o desempenho em matemática dos alunos no nível médio de escolas públicas”.

Quanto ao nível de profundidade do estudo

As pesquisas podem ser:

Pesquisa Exploratória

Ela objetiva identificar uma ocorrência que poderá servir de subsídio para outras pesquisas, sobre determinado objeto de estudo. Neste tipo de pesquisa observa-se uma só variável.

Ex.: “Perfil da penugem das aves tuiuiú, em trecho do Parque Nacional do Pantanal Mato-grossense”.

Pesquisa Descritiva

Objetiva esclarecimento aprofundado de um tema já conhecido, observando, registrando, comparando, correlacionando variáveis e chegando a conclusões, sem interferir no processo.

Ex.: “Influência da raça e do sexo na condenação de réus acusados de tráfico de drogas no ano de 2016, na Bahia”.

Pesquisa Explicativa

Objetiva uma investigação mais complexa de uma pesquisa anterior, construindo um conhecimento novo, identificando causas. Nesse tipo de pesquisa, se procura explicar as razões e os porquês.

Ex.:”Principais fatores predisponentes ao câncer de mama em mulheres com menos de 40 anos”

Autoria: Fast Format

Manual de como escrever trabalhos científicos

Neste e-book, são mostrados os principais aspectos que devem ser levados em consideração na produção de um artigo científico

Baixe aqui
DoityTeam

DoityTeam

Somos produtores de conteúdo apaixonados por eventos, vida acadêmica, marketing, vendas, tecnologia e por compartilhar experiências e conhecimento

Artigos Relacionados

Deixe seu comentário

Newsletter

Entre para a nossa lista exclusiva e aprenda com os melhores conteúdos