Vida Acadêmica

Professor universitário: Tudo sobre essa carreira acadêmica

Escrito por: Estéfane Padilha

Uma experiência de aprendizado é totalmente diferente quando se sai da fase escolar e se inicia uma faculdade. A relação com os professores universitários vai além de uma disciplina específica em sala de aula, pois muitos convivem também em projetos de extensão, quase como colegas, na realização trabalhos científicos.

Na hora de encerrar o período acadêmico, os alunos também dependem de um docente para orientar o trabalho de conclusão de curso e aí são necessárias reuniões e debates extraclasse até se chegar a um produto final de qualidade.

Nesse caminho, muitos se inspiram pelos mestres e pelas diversas possibilidades da carreira e decidem se dedicar a tornarem-se professores universitários. Se você é uma dessas pessoas, nós te ajudamos agora com alguns esclarecimentos sobre esta profissão!

Responsabilidade social

Um educador em uma escola tem papel importante na formação de pequenos cidadãos. Na universidade, se lida com adultos com caráter já moldado. Mas é necessário comprometer-se sempre com o ensino da ética, pois é das faculdades que saem novos profissionais.

Desse modo, é preciso estar muito atento à importância de cativar os estudantes e fomentar discussões críticas e mentes pensantes para um bem comum no futuro, não só na comunidade acadêmica, mas também em sociedade.

As multitarefas de um professor universitário

As multitarefas de um professor universitário

Muitos professores precisam estar engajados com assuntos diversos nas instituições de ensino. Além de uma, duas ou três matérias (obrigatórias ou eletivas – para carga horária flexível), eles podem se dedicar também a liderar grupos de pesquisa, orientação de TCCs e também mestrado e doutorado.

É preciso, portanto, ser organizado para fazer um trabalho de qualidade mesmo com tantas atribuições. Mas há também uma boa recompensa: os que mais se envolvem e dão retorno para a faculdade, ganham credibilidade e melhoram o currículo lattes – importante ferramenta na hora de se candidatar a um emprego, como explicamos aqui.

À frente dos eventos

Outro bônus que os professores universitários ganham é quando eles realizam atividades extraclasse. E não apenas grandes congressos de escala regional ou nacional. Simpósios  que envolvam apenas os estudantes da instituição também representam um passo importante.

Dos pequenos seminários e mesas redondas os alunos saem mais inspirados, assim como aqueles que estão à frente do processo de ensino. Daí podem surgir novos eventos, por exemplo, ainda mais colaborativos entre discentes e docentes. Se você gostou da ideia, nós te ajudamos com algumas  dicas para organizar palestras.

Se você, realmente, se interessa pela carreira de professor universitário e o universo acadêmico, organizar eventos vai fazer parte da sua rotina. E nada melhor do que colocar a mão na massa e começar a organizar um. A gente te ajuda! Baixe gratuitamente esse e-book no banner aqui embaixo e comece a se planejar.

Manual de organização de eventos acadêmicos

Guia planejar, executar e finalizar o seu evento com sucesso

Baixar e-book

Além disso, a interação com colegas de trabalho durante estes encontros especiais, fugindo da rotina apressada dos corredores da faculdade, também é uma forma de fomentar o conhecimento e melhorar ainda mais a comunidade científica em determinado curso.

Pensando no futuro desde a fase de estudante

O caminho para se tornar um professor universitário é longo, mas começa ainda quando se é estudante. É muito importante sempre trabalhar para obter um bom currículo lattes. E chances não faltam, com diversos projetos de iniciação científica. Um tema deve ser do seu interesse com certeza!

O contato com os professores durante grupos de extensão é bem válido para tirar dúvidas e receber dicas valiosas de quem está na profissão há algum tempo. Para saber mais, nós contamos aqui como dar os primeiros passos na vida de pesquisador com a iniciação científica

Além disso, a opção de desenvolver projetos é uma chance de testar as diversas possibilidades de conhecimento que seu curso oferece. Assim, na hora de se dedicar a pesquisas mais extensas, como para o TCC ou mestrado, você terá um ideia bem definida sobre em qual área se especializar e se dedicar rumo à carreira de professor universitário.

Ou seja, mesmo durante a graduação, é possível tomar as iniciativas que um profissional responsável precisa ter. Para saber um pouco mais como se organizar, nós te damos mais algumas dicas aqui.

Licenciatura x Bacharelado

É importante também esclarecer que as diferenças entre licenciatura e bacharelado não são fatores determinantes para aqueles que pretendem ser professores universitários. E nós explicamos o porquê:

Durante um curso com opção de licenciatura, o aluno estará aprendendo algumas técnicas de pedagogia pensadas para a atuação de magistério. Mas tais ensinamentos são mais voltados para quem quer atuar em escolas de ensino fundamental e médio.

Enquanto isso, o bacharelado é focado para o mercado de trabalho e desenvolve mais as características de cientista dos futuros profissionais.Ou seja, nos dois modelos é preciso investir mais tempo depois da graduação para obter a formação ideal para se tornar um professor universitário.

Mas em muitos casos, os estudantes optam por ter mais alguns semestres para conseguirem ambos os status: bacharel e licenciatura. Isso só traz benefícios, pois o discente terá absorvido o máximo de conhecimentos para ser um especialista em uma área, mas também uma metodologia e didática para a sala de aula.

Construindo a carreira e se reciclando

Construindo a carreira e se reciclando

A exigência por profissionais qualificados é cada vez maior. Eles precisam provar que têm experiência, mas, principalmente, capacidade de fazer descobertas importantes e produzir conteúdo de qualidade.

Isso significa que o professor universitário tem que ser visto como um cientista da área em que atua. E isso é só possível através de especializações e títulos adquiridos com pós-graduação, mestrado, doutorado e phD.

É preciso ter paciência para adquirir esses diplomas. Depois de quatro ou cinco anos de curso, é difícil começar imediatamente a atuar em universidades. Hoje, a maioria exige pelo menos um mestrado para quem quer iniciar como docente na vida acadêmica.

E para quem já começou a lecionar, as instituições valorizam e apoiam os profissionais que se renovam, pois sabem que eles trarão novidades para a sala de aula e todos sairão ganhando. Há até um plano de carreira com base nas titulações para estimular os veteranos a trabalharam em novos projetos.

Aqueles que decidem se dedicar a mestrados e doutorados mesmo depois de terem iniciado como professores há alguns anos, por exemplo, costumam receber horários flexíveis para não abdicar da formação pessoal.

Assim, a carreira de professor universitário é uma variável entre ensinar e aprender, sempre buscando novidades para acrescentar ao curso e, claro, compartilhar com os alunos e possíveis colegas.

E então? Tudo ficou mais claro? Esperamos que sim, e agora que você já sabe um pouco sobre o caminho para se tornar um professor universitário, confira também como é a rotina na carreira acadêmica. Ah! E boa sorte nesta trajetória!

Estéfane Padilha

Estéfane Padilha

Jornalista e colaboradora do Doity Team. Mora em Colônia, na Alemanha, onde estuda, trabalha e é voluntária no FC Köln, clube de futebol da cidade

Artigos Relacionados

Deixe seu comentário

Newsletter

Entre para a nossa lista exclusiva e aprenda com os melhores conteúdos